Belo HorizonteCultura

Favela Hacklab transforma Alto Vera Cruz num clube de arte, ciência, tecnologia e diversão

Favela Hacklab - Oficina de Costura - Foto:

Parceria entre o projeto Gambiologia e a ONG Arebeldia leva tecnologia para das mulheres carentes, de forma criativa, simples  e aplicada ao cotidiano em que elas vivem

O imóvel localizado na rua  Fernão Dias, 3313, no bairro Alto Vera Cruz, se transformou numa espécie de  “clube” de arte, ciência, tecnologia e diversão. Isso porque diversas mulheres se reuniram para fazer colocar em prática invenções, o lado criativo e despertar o espírito empreendedor.

Elas participam dos cursos de circuitos elétricos, marcenaria e costura contemporânea do Projeto FAVELA HACKLAB. Mas não é um simples curso.

Favela Hacklab – Oficina de Costura – Foto: Beth Freitas

As alunas aprendem a usar solda, máquinas de costura, furadeira, interruptores, baterias, parafusos. Instalar LED’s em peças de roupas. Além disso, vão montar uma extensão elétrica, desenvolver um mobiliário em madeira.

A ação que é gratuita integra o projeto “FAVELA HACKLAB”, que é fruto de uma parceria entre o projeto Gambiologia e a Associação Arebeldia (ONG fundada há 10 anos pelo músico Flávio Renegado).  O patrocínio é da Lei de Incentivo à Cultura.

As oficinas gratuitas serão realizadas durante até o final de dezembro, na rua Fernão Dias, 3313, onde funciona o Espaço Sementes do Futuro.

Sobre o Favela Hacklab

O projeto tem como objetivo implantar uma espécie de clube laboratório comunitário (ou makerspace) nas comunidades carentes e levar tecnologia a pessoas que ainda não têm acesso.

Inspirado nos conceitos da cultura maker, de que qualquer pessoa pode construir, consertar, modificar e fabricar objetos e projetos com suas próprias mãos,  a primeira etapa do projeto, que também é chamado de primeiro episódio foi realizado no meses de maio e junho de 2019, e envolveu cerca de 20 crianças e jovens estudantes das escolas do Alto Vera Cruz.

Favela Hacklab – Foto: Beth Freitas

Elas participaram de um ciclo de oficinas sobre conceitos básicos da eletrônica e criatividade, com inspiração nas estratégias improvisadas das”gambiarras”.

Retalhos de sombrinhas formaram bolsas. Embalagens plásticas viraramlanternas. Uma escova de cabelo e tampinhas de refrigerante se transformaram em um brinquedomotorizado. Um prato de planta jogado no quintal deu vida a uma luminária.

Favela Hacklab – Foto: Beth Freitas

Assim, os jovens participantes exploraram o potencial das tecnologias obsoletas de forma criativa e encontraram estratégias para o reuso de materiais descartados (processo também conhecido como “upcycling”).

O projeto dessa forma traz um acento político, além do estético. Reutilizar materiais e aplicar arte e intervenção a um cotidiano precário e improvisado sugere uma atitude política perante os excessos de nosso tempo. E, embora pareça brincadeira, muitas vezes a “gambiarra” é uma solução de baixo custo e extremamente criativa para necessidades urgentes.

Gambiologia

Gambiologia é um projeto belorizontino que, desde 2008, propõe iniciativas que exploram peculiaridades da cultura brasileira no contexto da arte eletrônica, especialmente relacionadas à tradição da “gambiarra”.

Até 2015, atuou como um coletivo artístico e atualmente apresenta-se como uma plataforma independente de criação e reflexão em arte e tecnologia, com colaboradores em diversos países.

Atualmente, sua linha de atuação transita entre um ateliê de invenções e uma produtora cultural, com três focos principais de trabalho: produção (exposições e publicações de artes visuais), educação (oficinas e metodologias) e inovação (palestras, consultorias e desenvolvimento de produtos).

Favela Hacklab

Favela Hacklab – Foto: Beth Freitas

Entre suas realizações de maior destaque estão as exposições “Gambiólogos / Maquinações” (2010, 2014, 2018, 2019) e a “Facta – revista de Gambiologia” (desde 2011, atualmente em sua quinta edição).

O projeto tem sido destaque em dezenas de mostras e festivais de arte no Brasil e exterior e recebeu Menção Honrosa no Prix ArsElectronica (Áustria), um dos mais tradicionais festivais do mundo.

 

About author

Articles

Relaçoes-Públicas, redator, blogueirx, ativista negro e LGBT+.
Related posts
CulturaMúsica

Festival Lá de Casa reúne 42 artistas de 20 a 22 de março no Instagram

De 20 a 22 de março, 6af, sábado e domingo, das 17h à meia noite, no Instagram E agora, o…
Read more
Belo HorizonteLifestyle

Yanã apresenta Joana Bentes e banda Ablusadas

Amanhã (12), Joana Bentes faz o aquecimento para o Cold Hot no Yanã, a partir das 20h. A cantora e…
Read more
Belo Horizonte

Agenda Yanã Bar de 10 a 15/12: Diversidade musical no Yanã

Hoje (10), a cantora Josi Lopes convida nomes como Sérgio Pererê e Nath Rodrigues para uma noite…
Read more

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.